Mudança no PIS/COFINS pode reduzir carga em até 10%

Empresas podem ter redução de 4% a 10% da carga tributária incidente na receita ou faturamento com vendas, segundo estimativas de especialistas, após decisão tomada pela Justiça na semana passada.

Por maioria de votos (7 a 2), os ministros do Supremo Tribunal Federal (STF) decidiram, no julgamento do Recurso Extraordinário número 240.785, que não deve haver a inclusão do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) na base de cálculo para cobrança ao Programa de Integração Social e para a Contribuição para Financiamento da Seguridade Social (PIS/Cofins). A decisão era esperada há quase duas décadas.

Isso abriu um “precedente” a beneficiar contribuintes. Porém, deve atingir apenas aqueles que entraram com ação judicial para ter essa mudança.

Quando uma empresa emite uma nota fiscal, no preço da mercadoria estão incluídos os custos com o ICMS. Isso é entendido como receita ou faturamento, onde se incide o PIS e Cofins. “Ou seja, as taxas são cobradas no valor total, onde já está ICMS. É imposto sobre imposto.”

O empresário que ingressar com ação judicial garante que os efeitos desse julgamento toquem-no com efeitos retroativos, de modo que sua empresa possa compensar o PIS/COFINS pago indevidamente nos últimos 5 anos.

Caso tenha interesse em ingressar com esta ação nos procure, pois temos advogados tributarias que vão lhe dar todas as orientações necessárias.

DECRETO PODE REGULARIZAR ATÉ 60 MIL IMOVEIS EM FLORIANOPOLIS

O prefeito Cesar Souza Junior assinou na tarde desta quinta-feira decreto que regulamenta os efeitos da lei complementar nº 374/10, que autoriza a regularização de imóveis construídos até o ano de 2008, e lançou o movimento “Floripa Legal”. “É um momento muito importante. É uma chance única de fazer a regularização. Queremos dar a oportunidade de regularizar, mas gostaria de deixar claro que o poder de endurecimento da fiscalização será ainda maior”, enfatizou Cesar Junior.

TS BAUMGARTNER CONTADORES ASSOCIADOS

“TRABALHAMOS COM REGULARIZAÇÃO DE IMÓVEIS CONFORME LEI COMPLEMENTAR nº 374/10,     NOS PROCURE!”

Trabalhamos também com abertura e encerramento de empresas, IRPJ, IRPF, Consultoria, Planejamento Tributário, Contabilidade, Auditoria, Folha de Pagamento e outros serviços relacionados à atividade empresarial.

Rua Arcipreste Paiva, 43 – Edifico Praça XV – Salas 705/706 – Centro Florianópolis – Santa Catarina – CEP 88010-530

Telefones: (48) – 3225-6860 – 9911 9216 – 96108352– c/Antenor ou Carlos

email: comercial@tsbaumgartner.com.br

Contabilidade como arma estratégica

Em 3 de setembro de 2014
Além de uma obrigação, a contabilidade é uma importante ferramenta de gestão. Por mais que o empreendedor tenha de se desdobrar na administração, nunca deve menosprezar esse aspecto e tratá-lo como mero procedimento burocrático. Trata-se de um controle que vai além do registro de entradas e saídas de recursos e impostos a pagar. Representa um retrato da saúde financeira do negócio.

A análise contábil atenta permite conhecer a fundo custos e rentabilidade, identificar onde estão as despesas, onde há margem para cortes e oportunidades de investimento, além de ajudar a se precaver de surpresas.
Por meio dela é possível antever situações, sejam positivas ou negativas, e direcionar as medidas a serem tomadas. Daí sua importância estratégica.
Porém, se diante de tudo isso aquele empreendedor do qual falamos no início não se deu por vencido da necessidade de manter uma boa escrituração contábil, talvez o gerente do banco o convença: ela será fundamental para comprovar a quantas anda o negócio na hora de pedir financiamento. Nenhum banco empresta dinheiro sem avaliar a capacidade de o cliente pagar e só uma contabilidade ordenada pode mostrar isso.
A contabilidade serve ainda para comprovar a todos os sócios a realidade patrimonial da empresa e dirimir eventuais dúvidas entre eles.
Nesse contexto, o contabilista se transforma no braço direito do empresário. Ele atua como um verdadeiro parceiro, organizando as informações, orientando e evitando que a empresa cometa erros nesse campo capazes de prejudicá-la com o Fisco.
Por Ivan Hussni – Diretor Técnico Do Sebrae-SP
Fonte: Incorporativ

Contabilidade: por onde começar e onde termina?

A Contabilidade registra todas as atividades financeiras e econômicas das empresas.

O tema Contabilidade não é de fácil entendimento para a maioria dos microempresários, que pensam que os serviços de empresas de Contabilidade se resumem a fazer guias de pagamentos. É muito mais que isso e as explicações exigem matérias e mais matérias já bastante exploradas pela mídia em geral.

A Contabilidade registra todas as atividades financeiras e econômicas das empresas. Através desses registros, são possíveis os relatórios que nos permitem verificar a evolução da empresa, como e onde estamos ganhando e gastando o dinheiro que entra e sai. Sem essas informações é impossível ter controle efetivo da gestão financeira das empresas.

E onde tudo começa? No primeiro centavo investido para dar forma à pessoa jurídica. A partir desse momento, todo dinheiro gasto deve ser documentado, posteriormente lançado na movimentação contábil mensal e por fim resultará nos relatórios contábeis periódicos que darão norte aos gestores.

Os documentos que comprovam toda essa movimentação merecem atenção mais que especial pois, uma vez constituída a pessoa jurídica, passa a ter obrigações fiscais e contábeis, cujo fato gerador ou base de cálculo, tem origem nos documentos que comprovam os pagamentos, seja de um prego, seja de um serviço técnico especializado.

Documentos como notas fiscais, cupons fiscais, recibos de pagamentos de autônomos, recibos de pagamentos de funcionários, DARFs, GPS, FGTS, além de extratos bancários, com descrição clara de todos os pagamentos feitos e comprovação de pagamentos feitos com cartões de débitos e créditos, tudo isso deve ser mandado para Empresa de Contabilidade mensalmente, ou dependendo do volume de documentos, até antes, com intuito de serem computados nas operações da empresa.

Vale lembrar que a Legislação Fiscal é diferente da Legislação Contábil e que, portanto, há de ter conhecimento das duas para correta escrituração e utilização de documentos.

Você tem dúvida em relação a isso? Consulte a Empresa Contábil a respeito do assunto. Converse e verifique quanto de conhecimento poderá adquirir para melhorar a gestão da sua empresa e transformá-la num empreendimento bem sucedido.

A escrituração contábil começa nos documentos que comprovam cada operação, por menor que seja no dia a dia da empresa. Para que as informações prestadas tenham qualidade, é importante que na rotina diária, todos os envolvidos tenham o compromisso de documentar tudo corretamente.

Link: http://www.jornalcontabil.com.br/v2/+-Lidas/4617.htmlFonte: Jornal Contábil

Tenho uma Micro ou Pequena empresa: porque preciso de Assessoria Contábil?

O que é Assessoria Contabil?

É a empresa que realiza o trabalho de orientar quanto aos procedimentos contábeis e fiscais das empresas, além de registrar sob as normas legais todos os acontecimentos financeiros e econômicos, oferecendo ferramentas importantes para tomada de decisão dos gestores.

Todas as empresas precisam dessas orientações periodicamente se quiserem manter preservada a saúde da empresa. A Legislação brasileira é complexa e fica difícil para os empreendedores saberem sobre todas as leis e ainda cuidarem da atividade principal que escolheram. Por isso contrata-se os Contabilistas para que cuidem desse trabalho que não pode ser negligenciado.

Como é o trabalho dos Contabilistas?

Os trabalhos são baseados em orientação fiscal e contábil, visando o correto desempenho das pessoas jurídicas e evitando-se penalidades fiscais que muitas vezes podem até levar a empresa à falência. Além disso, todos os documentos comprovantes de operações de compras, vendas, transferências, empréstimos, etc., são registrados de forma a fornecer aos gestores, demonstrativos que mostram todas as origens e aplicações de recursos, ou seja, como a empresa recebeu dinheiro e como ela gastou esse dinheiro.

Esses demonstrativos também podem apontam os resultados, que, sendo negativos, podem ser revertidos após as análises dos administradores juntamente com os contabilistas e, se positivos, podem se verificar as ações que levaram aos bons resultados e melhorar ainda mais.

Como contabilistas podem ajudar a economizar impostos?

São os contabilistas os tradutores da complexa Legislação tributária brasileira para os contribuintes, ou seja, aqueles que estudam as regras, buscam alternativas econômicas com bases legais e estudam melhor cenário tributário de acordo com a atividade e o faturamento da empresa.

Fazer estas apurações sem a assessoria contábil, pode levar as micros e pequenas empresas a erros graves, falhas de apuração e escrituração, omissão de informações, dentre tantas outras coisas. Tudo isso se traduz em prejuízo financeiro e econômico, pois muitas vezes para se resolver problemas com autos de infração com valores muito altos, os empresários precisam até se desfazer de algum bem do patrimônio conquistado com sacrifícios.

Por que mais trabalho é importante?

Como é de conhecimento público, são as micros e pequenas empresas as maiores geradoras de vagas de trabalho no País e são os Contabilistas os responsáveis pela maior parte das informações que envolve Governo e empresas. Dessa forma, pode se dizer que sem o trabalho dos contabilistas o País poderia parar em meio a um caos fiscal e contábil que deixaria a todos no escuro, sem informações fiscais e econômicas, diminuindo assim, a arrecadação dos órgãos públicos e inviabilizado a maior parte das ações sociais do Governo.

São os contabilistas os responsáveis diretos pela apuração de resultados e registros que levam à apuração de impostos. Se este trabalho não é feito à luz do entendimento fiscal e contábil, a carga tributária, considerada injusta para a maioria, torna-se ainda mais pesada.

Ter o contabilista como parceiro, no início dos projetos e trabalhos garante a correta documentação dos processos, além de orientação quanto aos passos que podem e que não podem ser dados em cada etapa dos processos.

Além disso, as orientações financeiras e de gestão agregadas aos serviços, ajudam os micros e pequenos empreendedores a multiplicarem suas riquezas, ao invés de gastarem energia precisando do sistema financeiro brasileiro que é dos mais caros do mundo.

Enfim, consulte a Assessoria Contabil em todas as etapas dos trabalhos realizados por sua empresa. Siga as orientações sobre documentos, emissão de notas, arquivamentos, registros em geral e certamente estará evitando problemas com fiscalizações e autuações. O Governo brasileiro tem hoje, um dos maiores arsenais de sistemas e equipamentos de cruzamento de dados, o que possibilita maior proximidade com os contribuintes e cabe a cada um de nós, empresários, pagadores de impostos e geradores de empregos sabermos as regras desse jogo tributário; nos posicionarmos de forma correta para que também possamos fazer cobranças justas, visto que somos os financiadores dessa máquina imensa chamada Governo.

Administradores

Parceria Ideal

A Contabilidade é uma das maiores parceiras de todos os Empreendedores do mundo inteiro. Não há empresa que exista sem assessoria contábil.

Mas, quando se fala em contabilidade, a maioria das pessoas ficam com ar pensativo, imaginando uma conta para pagar, ou uma obrigação a cumprir.

Vamos entender alguns trabalhos de contabilidade: rotineiramente nos Escritórios de Assessoria Contábil são desenvolvidos trabalhos de escrituração fiscal, de Departamento Pessoal e Contábil que visa registrar todos os atos da empresa a fim de levantar resultados, acompanhar evolução patrimonial e crescimento econômico. Esse é um dos trabalhos, dentre tantos feitos em Contabilidade.

Em Contabilidade tributária, estuda-se melhores formatos de arrecadação de impostos que visam economia tributária para as empresas com embasamentos legais e enquadramentos corretos na Lei. Deste trabalho extrai-se planejamentos tributários, pontes ao futuro que mostram o cenário atual em comparação ao que pode acontecer diante do crescimento da empresa. Ou seja, o trabalho é analisar o que o Governo está impondo, classificar de forma correta para se evitar prejuízos financeiros e, depois de tudo isso, a emissão de guias para pagamento de impostos.

Em Contabilidade Gerencial, são lançados os documentos que deram origem à aplicação dos recursos da empresa. Os documentos são analisados desde seu formato e correta utilização até a apuração dos resultados periódicos, que são ferramentas fundamentais para garantir a saúde financeira e econômica da organização.

Além desses, há ainda Contabilidade de Custos para apuração do quanto se gasta para produzir ou comercializar produtos e mercadorias; estuda-se o custo efetivo na prestação de serviços, desconhecido da grande maioria.

Vale lembrar que estes estudos são elaborados para cada empresa, em processos customizados, respeitando as individualidades de cada empreendimento. Depois disso, as informações são formatadas para envio aos órgãos públicos, em formato digital, em sua maioria, com linguagem própria que exige alto grau de profissionalização de todos os envolvidos.

Não existe “empresinha” ou “empresona” que possa caminhar corretamente sem uma parceria sólida com Assessoria Contábil. Por isso, manter uma relação próxima é muito importante e garante os bons resultados da parceria.

 

Portal Administradores

Profissionalismo Liberal

Dicas para o profissional liberal pagar menos impostos
Lucro real, lucro presumido ou Simples nacional, qual é a melhor opção?

Administrar uma empresa, seja qual for o seu tamanho ou estrutura, não é das tarefas mais simples. Além da busca de clientes sempre e das decisões cotidianas, o profissional precisa estar atualizado das questões de tributação financeira. Para quem quer regularizar a sua empresa, ou seja, estar dentro da lei com o governo e consequentemente pagar menos impostos, segue abaixo algumas dicas:

1. Contrate uma consultoria contábil para auxiliar desde a abertura da sua empresa, mas atente-se aos seus serviços, não apenas aos valores. Preço é importante, mas não adianta pagar um preço baixo e não ter segurança. Para não cair em armadilhas, solicite indicações de conhecidos e avalie as reais condições da consultoria.

Uma dica que costumo dar é sempre que possível procurar tratar estes assuntos pessoalmente, de preferência na sede da empresa. Além de ser uma forma de expor melhor os seus objetivos enquanto contratante, também é uma maneira de ver o atendimento e como a empresa se relaciona com seus clientes.

2. Ao contratar a abertura da empresa, não se esqueça de incluir a análise da opção tributária (Lucro Real, Lucro Presumido ou Simples). Esta opção valerá para o ano todo e determinará o quanto de impostos a sua empresa pagará. Invista um pequeno tempo para debater o assunto, pois certamente terá um ganho quando fizer a escolha certa.

3. Não aceite arranjos que possam causar transtornos no futuro, como por exemplo, abrir uma empresa com atividade diferente do que de fato você faz para optar pelo lucro simples. Isso poderá lhe render uma grande dor de cabeça e prejuízo financeiro no futuro.

4. Quando a atividade exercida for impeditiva de opção pelo regime do simples, é provável que a opção seja o Lucro Presumido. Deve-se considerar que estamos tratando de uma atividade que normalmente tem uma margem de lucro alta, pois a maior parte dos profissionais liberais não necessita de estrutura física, e sua cadeia de despesas está muito relacionada ao seu esforço na realização do serviço que ele mesmo realiza.

5. Exija da sua consultoria contábil a entrega do balancete mensal. Este detalhe faz toda a diferença, pois além de ser um registro obrigatório para toda e qualquer empresa, será através dele que serão validados os resultados contábeis e as destinações.

6. Não confunda o dinheiro da empresa com o dinheiro da sua carteira. É preciso saber separar!

7. Estabeleça a sua remuneração de forma criteriosa. Lembre-se que você deve manter um pró-labore (remuneração pelo trabalho do sócio), que será a base para o pagamento da contribuição providenciaria (11% descontado do sócio). Além disso, a empresa terá o encargo de 20% de INSS e fará o desconto do imposto de renda pessoa física (sócio) quando o pró-labore for superior a R$ 1.787,77 (de acordo com a atual tabela vigente).

8. Para obter o melhor resultado (pagar menos imposto dentro da lei), faça a distribuição de lucros, mas atente-se para fazer com base no resultado apurado na escrituração (balancete/balanço). Dessa forma, será possível a realização das transferências dos valores apurados para sua conta corrente (pessoa física) sem o pagamento de impostos, pois a distribuição de lucro é um rendimento isento e não tributável.

9. Uma forma de ganhar um prazo maior para pagar os impostos federais é optar pelo reconhecimento das receitas através do regime de caixa. Este se dá somente quando recebe-se pelos serviços prestados e não pela emissão da nota fiscal.

10. Solicite periodicamente o controle das certidões e também da situação fiscal da sua empresa. Com o certificado digital é possível ter acesso de forma prática. A empresa contratada poderá atender este requisito de forma mais pontual.

11. Ao final de cada ano, solicite uma análise comparativa da tributação paga por sua empresa em relação às opções permitidas, desta forma você terá informações para, se for o caso, mudar no tempo certo. Solicite também a confirmação da entrega de todas as obrigações da sua empresa, evitando-se o risco de prejuízos e problemas no futuro.

Seguindo essas dicas, com certeza, a sua empresa crescerá e você poderá ficar tranquilo em relação a suas obrigações fiscais com o governo. Pense nisso!

Fonte: Vanildo Veras é diretor de Inteligência Fiscal da Datanil – empresa especializada em consultoria contábil, tributária e trabalhista.

IRRF – Você tem direito

Você já recebeu o comprovante de rendimento para fazer a declaração de imposto de renda. Dia 28 de fevereiro era o prazo que as empresas tinham para encaminhar tal documento. Não se esqueça que o prazo para prestar contas com a leão vai de até final de abril, este ano é um pouco mais curto devido ao carnaval.

Todos os anos a Receita Federal do Brasil divulga as regras para a declaração anual de imposto de renda. Este ano não foi diferente, as regra são:

• Quem recebeu rendimentos tributáveis com soma anual igual ou superior a R$ 25.661,70 .

• Quem recebeu rendimentos isentos, não tributáveis ou tributados exclusivamente na fonte, cuja soma foi superior a R$ 40 mil.

• Quem teve ganho de capital e operações em bolsa de valores

• Atividade rural

• Quem teve a posse ou propriedade de bens ou direitos (inclusive terras) de valor total superior a R$ 300 mil, em 31 de dezembro de 2013.

• Condição de residente no Brasil – tornou-se residente no Brasil em 2013 e continuava na mesma condição em 31 de dezembro de 2013.

Se não está enquadrado em nenhuma das regras acima você não está obrigado a declarar. Mas existe um item que as pessoas em sua maioria não são alertadas. E o caso de quando há o imposto de renda retido na fonte.

Exemplo: Se você obtive um rendimento de R$ 4.500,00 em um mês do ano, por exemplo junho, e esse rendimento foi tributado pelo IR, você terá uma retenção de R$ 901,12.

Já durante o restante do ano se você teve rendimento menores de janeiro a maio, teve um total de R$ 7.500,00 e julho a dezembro, R$ 12.500,00.

Somando os meses do ano seu rendimento foi de R$ 24.500,00. Neste caso foi está desobrigado de fazer a declaração do imposto de renda, mas deixará de restituir o valor de R$ 901,12.

Para ser restituído basta fazer uma declaração simplificada que dá um desconto “padrão” de 20% na renda tributável. Este abatimento substitui todas as deduções legais da declaração completa. No IR de 2014, esse desconto está limitado a R$ 15.197,02, o que representa uma correção de 4,5% frente ao ano passado. Em 2013, o limite foi de R$ 14.542,60.

Em nosso exemplo acima, o total dos rendimentos de R$ 24.500,00, terá um desconto de simplificado de R$ 4.900,00, e um rendimento tributável de R$ 19.600,00.

Verificando a tabela do IRPF você verá que o contribuinte estará isento do imposto retido, então será restituído do total retido no valor de R$ 901,12.